Vamos falar a verdade? Ninguém gosta de ir a um pronto socorro (PS), afinal, isso indica que você (ou alguém) está com um problema de saúde. Sem falar que muitas vezes buscamos o atendimento de urgência sem necessidade. 

A verdade é que ir ao hospital ou a uma unidade de saúde nem sempre é a melhor opção. Isso porque são ambientes que possuem um grau maior de risco de transmissão de doenças (como a Covid-19) e infecções.

Isso mesmo. Sem falar nas longas esperas e no gasto desnecessário de insumos, uma vez que, muitos atendimentos não urgentes poderiam ter sido resolvidos por meio de uma atendimento à distância.

Segue que a gente explica melhor.

Pronto-socorro, ir ou não ir?

Imagine que você tem uma dor de garganta e vai ao hospital. Tem que pegar senha, fazer consulta de triagem, e esperar enquanto assiste algum programa de televisão sem som – até que, no fim, recebe uma medicação para dor, tratamento que poderia ser feito em casa, de forma mais rápida e segura. 

Tem mais: a lotação dos PS pode fazer com que haja atraso no atendimento de casos realmente graves. Ou até, você pode levar algum ví­rus, mesmo que não apresente sintomas, para pessoas mais suscetíveis a pegar doenças (pessoas em tratamentos contra câncer, gestantes de risco, prematuros etc). 

Sendo assim, se as idas desnecessárias ao PS forem evitadas, você cuida da sua saúde (com um tratamento mais assertivo e rápido) e ainda garante que quem mais precisa seja atendido de forma muito mais eficaz. 

Mudanças de paradigmas 

O calcanhar de Aquiles, mesmo, é mudar a lógica do sistema. É isso que a Gestora de Saúde faz. Uma pessoa acostumada a ir ao PS resolver todos seus problemas de saúde, quando estimulada a usar caminhos mais adequados e perceber que foi bem atendida – rapidamente e de maneira resolutiva –, muda a lógica de como usar o sistema.

A melhor recomendação? Consultar primeiro um profissional de saúde. E não estamos falando de um especialista, mas um profissional mais generalista, como médico(a) de família e comunidade ou um atendimento de Atenção Primária. 

Alice Agora: atendimento médico em casa, sem fila de espera

O nome não é gratuito: é agora mesmo. O atendimento via Alice Agora não precisa de agendamento prévio e é iniciado em segundos quando feito durante o dia. Após às 21h, esse tempo aumenta para poucos minutos. 

Ao acessar o Alice Agora {do seu sofá} você é atendido na hora pelo seu Time de Saúde – formado por profissionais de enfermagem e médicas(os). E não é só sobre conforto. Estamos falando de um time que sabe tudo sobre seu histórico de saúde. Que sabe, por exemplo, que sua dor de cabeça pode ser consequência da sua alimentação ou até do estresse no trabalho que você mesmo relatou na última consulta.

Seja por chat ou numa videochamada, seu Time de Saúde  analisa seus sintomas e, descartando qualquer possibilidade de urgência, segue com o melhor tratamento, encaminhamento para especialista ou pedido de exames realmente necessários. 

Mas espera, e se for uma urgência? Se for o caso, a Alice te indica já o PS mais próximo (chamando uma ambulância quando preciso) e acompanha todo seu caso. Ah, e depois do atendimento é seu time que fará o acompanhamento da sua recuperação.